Sintomas da cistite

Sintomas da cistite em mulheres adultas

Seja o primeiro a comentar

Photo of author

Autor: Dra. Renata Campos - Nefrologista

Cistite é o termo médico para a inflamação da bexiga. Na imensa maioria dos casos, a cistite é provocada por uma infecção bacteriana, especialmente por bactérias que vivem nos intestinos, como Escherichia coli, responsável por mais de 75% dos casos (1).

Do ponto de vista clínico, a cistite pode ser dividida em dois grupos, consoante a sua gravidade:

  • Cistite simples ou não complicada: a cistite não complicada é aquela que fica limitada ao trato urinário inferior (bexiga e uretra). A cistite não complicada é habitualmente causada por bactérias suscetíveis aos antibióticos comumente usados.
  • Cistite complicada: a cistite complicada é aquela que apresenta pelo menos uma das seguintes características: coexistência de infecção da bexiga e de um ou ambos os rins, cistite provocada por bactérias resistentes aos antibióticos mais comuns, cistite em homens, cistite em pacientes com condições clínicas especiais, como, por exemplo, anormalidades anatômicas do trato urinário, cateter vesical de demora, pedras nos rins, grávidas, câncer, imunossupressão, diabetes, etc.) (2)

Neste artigo abordaremos os sintomas da cistite simples nas mulheres adultas (não grávidas).

Sintomas da cistite simples em mulheres adultas

A cistite em mulheres adultas e saudáveis é extremamente comum. A distância menor entre o ânus e a uretra é a explicação mais provável do porquê as mulheres têm maior risco de infecções do trato urinário do que os homens (3).

Os sinais e sintomas típicos da cistite nas mulheres adultas são:

1. Disúria

Disúria é o termo médico utilizado para descrever dor, ardência, sensação de queimação ou desconforto na região genital que surge ao urinar. A disúria é o sintoma mais típico da cistite, mas pode ocorrer em outras circunstancias, como nas inflamações vaginais.

2. Polaciúria

Polaciúria (polaquiuria no português europeu) é o termo médico utilizado para descrever o aumento na frequência de idas ao banheiro, habitualmente com volume de urina pequeno a cada micção. Os pacientes com polaciúria são aqueles que sentem vontade de urinar a toda hora, mesmo quando a bexiga se encontra praticamente vazia.

O aumento da frequência urinária é sinal mais comum da cistite. Quando a paciente apresenta disúria e polaciúria (sem corrimento vaginal), a probabilidade dela ter cistite é de mais de 90% (4).

3. Urgência urinária

Urgência urinária é caracterizada por uma necessidade súbita e intensa de urinar, que é difícil de adiar. Se a paciente não tiver acesso a um banheiro, é comum que ela acabe perdendo urina sem querer na roupa. A urgência urinária é um sintoma comum da cistite, mas pode ocorrer também em outras condições do trato urinário, como bexiga hiperativa, prostatite (em homens) ou ser um efeito colateral de alguns medicamentos.

4. Hematúria

Hematúria é o termo utilizado para descrever a presença de sangue na urina, que pode variar desde uma urina levemente rosada até francamente hemorrágica, com coágulos. A hematúria é um sinal que ocorre com menor frequência, mas ainda assim surge em cerca de 10% das mulheres com cistite (5). Hematúria sem outros sintomas de infecção urinária costuma indicar outros problemas, como cálculos renais, traumas, efeito colateral de medicamentos anticoagulantes ou doenças glomerulares.

5. Dor no baixo ventre ou pelve

Outro sintoma bem comum é uma dor na região inferior do abdômen, na altura da bexiga. Essa dor pode ser constante ou ocorrer apenas durante a micção. Nem sempre a paciente se queixa especificamente de dor, a descrição pode ser mais de incômodo ou sensação de peso na bexiga.

6. Urina turva

Se a bexiga estiver muito inflamada pela infecção, pode haver grande quantidade de pus na urina, o que a torna mais turva.

7. Urina com odor forte

A urina naturalmente cheira mal. Isso ocorre porque ela é rica em ureia, uma substância com odor bem característico. Quando estamos desidratados, os rins eliminam menos água e a concentração de ureia na urina aumenta, tornando o odor mais perceptível.

No entanto, se a urina estiver bem diluída e ainda assim cheirar mal, devemos pensar na presença de bactérias que metabolizam a ureia em amônia, substância que apresenta odor ainda mais forte que a própria ureia. Porém, nem todas as bactérias que causam infecção urinária produzem odores e a maioria dos quadros de cistite não cursa com urina com mau odor.

Alguns alimentos ou medicamentos, como aspargo, café, alho, suplementos vitamínicos e penicilina, também podem casuar mau cheiro na urina.

Explicamos as principais causas de urina malcheirosa em artigo publicado no website MD.Saúde: Principais causas de urina com cheiro forte.

8. Mal-estar, fraqueza e desorientação

Os pacientes idosos, tanto homens como mulheres, podem apresentar sintomas atípicos de cistite, como indisposição, cansaço, fraqueza e alterações do estado mental, como protração ou desorientação.

Esses sinais e sintomas não são específicos da cistite nos idosos e podem ocorrer em qualquer tipo de infecção nessa faixa etária.

Cistite em mulheres idosas

Em mulheres idosas, os sintomas da cistite podem ser menos pronunciados. Além disso, a confusão mental ou mudanças no comportamento mental podem dificultar a avaliação correta dos sintomas, pois a paciente não consegue fornecer uma história clínica clara para avaliação do médico.

Mesmo quando não há alterações mentais, o diagnóstico da cistite pode ser difícil na população idosa. As mulheres com mais 65 anos frequentemente já têm vários sintomas urinários inespecíficos, como disúria crônica, urgência urinária ou incontinência urinária, que mimetizam os sintomas da cistite, mesmo quando não há evidência de infecção do trato urinário (6).

Outro fator complicador é o fato da bacteriúria assintomática, ou seja, a presença de bactérias na urina sem que haja efetivamente uma infecção urinária, é bem mais comum nos idosos. A incidência de bacteriúria assintomática na população em geral é de 3,5%, mas ela sobe para 16% a 18% em mulheres com mais de 70 anos (7).

Portanto, ainda que os sintomas da cistite em mulheres idosas possam ser similares aos de mulheres mais jovens, elas podem ser mais sutis ou confundidos com outros problemas de saúde.

Sinais de complicação da cistite

Apesar de ser muito incômoda, a cistite costuma ser uma infecção benigna, muitas vezes autolimitada. Até 50% das mulheres adultas jovens e saudáveis se recuperam completamente, mesmo sem tratamento, após cerca de 7 dias (8).

Já os casos de cistite complicada apresentam risco maior de complicações, como evolução do quadro para pielonefrite (infecção dos rins).

O tratamento da cistite com antibióticos oferece três vantagens:

  • Resolução mais rápida dos sintomas.
  • Redução do risco de recorrência da cistite após algumas semanas ou meses.
  • Redução do risco de complicações, como pielonefrite.

Entre os sinais e sintomas de uma cistite complicada ou de pielonefrite estão:

  • Febre, habitualmente acima dos 38ºC.
  • Calafrios, rigidez, fadiga significativa ou mal-estar.
  • Dor intensa em um dos flancos (do lado do rim infectado).
  • Dor pélvica ou perineal em homens.

Referências


Deixe um comentário